Tratamento de temas interessantes de uma forma desinteressante. Abordagem inconsequente acerca da consequência das coisas. Tudo será devidamente tratado, mas sem qualquer resolução. Os leigos também têm direito a opinião...

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

E se fosse uma pulseira electrónica?

Tenho estado a observar que subsistem muitas duvidas acerca da integridade ética e moral de um ex-Primeiro Ministro.

Penso que só temos uma forma de assegurarmos a sua completa inocência nos alegados delitos de que é acusado: Constitui-lo arguido em cada um dos casos e julgá-lo.

Uma fez que o suspeito e eventual arguido finalmente vai tirar um curso, aconselho o Ministério Publico a não o privar de liberdade por perigo de fuga ou ocultação de provas.

Proponho que lhe sejam aplicadas as medidas cautelares menos gravosas.

O termo de identidade e residência com apresentação na "Gendarmie" mais próxima no final de cada período escolar, seria o mais indicado.

Desta forma o aluno poderia concluir a sua licenciatura em filosofia na Universidade francesa que frequenta.

Na apresentação periódica ás autoridades teria de exibir as notas do respectivo semestre, para nos podermos certificar do seu bom aproveitamento. Claro que os documentos a exibir deverão ser devidamente autenticados.

E se fosse uma pulseira electrónica? Como medida preventiva adicional poderia ser bastante útil. As braceletes deverão ser de varias cores (à escolha do arguido) para fazerem conjunto com o fato.

Recordo que no caso do Dr. Duarte Lima não houve esse cuidado porque, segundo consta, havia um efectivo perigo de fuga. Sabe-se agora que tinha tudo preparado para ir fugir para o Quatar.

Nesta situação esse problema não se coloca, a fuga seria só até Gibraltar.

Comece-se a julgar e acabe-se de vez com as suspeitas...Não é justo alguém viver assim.

segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

O primeiro clube de futebol do mundo

NOTTS COUNTY FOOTBALL CLUB
Fundação: 28/Novembro/1862
Endereço: Meadow Leane, Nottingham/ING NG2 3HJ
Tel.: 0115 9529000     Fax: 0115 9553994
Site oficial: www.nottscountyfc.co.uk


Titulos
Competição Ano
Copa da Inglaterra 1894
Campeonato Nacional da 2ª Divisão 1897/1914/1923
Campeonato Nacional da 3ª Divisão Sul 1931
Anglo-Italian Cup 1995
The Bass Charity Vase*
* Torneio iniciado em 1889 para angariar fundos a hospitais. 1988/1989/1990/1994/2004/2005
Nottingham Shire Cup *
* Torneio disputado pelas equipes da cidade de Nottingham (Notts County, Nottingham Forest e Mansfield Town) e disputada pela última vez em 2002. 1937/1963/1975/1976/1985/1995
»  A HISTÓRIA

Universalmente reconhecido como o clube de futebol mais antigo do mundo. Foi fundado em 28 de novembro de 1862 e foi um dos 12 fundadores da Liga Inglesa.

O inicio do futebol no Nottingham Football Club começou nos Jardins de Cremone (Cremorne Gardens), quando W. Arkwright e Chas Deakin passaram a "chutar uma bola contra o outro" terminando em 2 a 2. Sua formação oficial no entanto seu deu em 1864 com o nome de Notts Football Club.

Entre 1864 e 1888, foram realizadas partidas amistosas com outros clubes da Inglaterra e Escócia. Neste período o clube chegou a ter 08 atletas relacionados na seleção nacional.
O primeiro campeonato oficial disputado pelo clube foi em 1877, na Copa da Inglaterra. Com um bom futebol apresentado chegou as semifinais em 1883 e 1884. De 1883 à 1910 o Notts mandava seus jogos  na Trent Bridge e ocasionalmente em Castle Cricket Ground e na Floresta de Town Ground, na cidade de Nottingham. Em 1910 mundou seus jogos para Meadow Lane.

Na temporada de 1890/1891  o Notts terminou em terceiro na Liga Inglesa e foi finalista na Copa, sendo derrotado por 3 a 1 pelo Blackburn Rovers. Já sua primeira conquista se deu em 1894 (um ano após seu rebaixamento à 2ª divisão) quando um público de 37.000 torcedores assistiram sua vitória na final da FA Cup frente ao Bolton pelo placar de 4x1, tornando-se o primeiro clube de uma Segunda Divisão a ganhar o torneio.

Em 1896/97 foi promovido a divisão principal em uma série de jogos em play-off.
Em 1913 foi rebaixado uma vez mais a segunda divisão, mas retornou na temporada seguinte como campeão da Segunda Divisão.
Anos mais tarde seria rebaixado a 2ª divisão (temporadas 1919/20 e 1925/26) e rebaixamento a Divisão 3 Sul no ano de 1930, retornando a 2ª no ano seguinte como campeão. Caiu novamente em 1935. Só retornando a 2ª divisão na temporada 1949/50. Caiu novamente para a 3a. div em 1955, depois para a 4a. div.

A história recente mais próspera do clube aconteceu em 1981/82 quando retornou a 1ª Divisão (terminou o campeonato na 15ª posição).

JIMMY SIRREL
Assumiu o clube no mês de novembro de 1969 e foi o grande responsável pelas promoções do clube. Em 1971 subiu à 3a. divisão e, em 1973 à 2ª divisão. Dave Needham, Briam Stubbs, Tony Hately, Kevin Randall e Arthur Mann, Don Masson e Les Bradd, este marcou 124 gols em 11 anos atuando pelo Notts, eram a espinha dorsal do êxito do clube. Subiu à 1ª divisão em 1981.

Depois de ter se mantido por dois anos na principal divisão do país - com a saída de Sirrel e varias sucessivas mudanças, o clube sofreu rebaixamentos sucessivos nos anos de 1984 e 1985.


Fonte: Arquivo e Notts County FC.     Setembro/2006

domingo, 11 de dezembro de 2011

O principio do fim da União Europeia

Vou começar por explicar o motivo deste titulo.

A União Europeia, para ser viável, tem de partir de um principio de equilibrio de forças. Ora se a Inglaterra está com um pé dentro e outro fora, esse equilibrio está comprometido.

A "Tríplice Entente" foi uma aliança militar celebrada entre o Império britânico, a França e a Rússia; para fazer face à "Tríplice Aliança" da Alemanha, Itália e o Império Austro-húngaro.

Este acordo tripartido assinado em inícios do séc. XX visava o equilíbrio de forças na Europa, uma vez que desde 1890 Guilherme II da Alemanha, liderava uma política agressiva de expansão territorial e económica (o pangermanismo) que em muito ameaçava os interesses dos estados signatários.

A busca de novos territórios e a ânsia de domínio económico, leva a Alemanha para a primeira Grande Guerra. O Reino Unido lidera os aliados. Sabemos o desfecho com 10 milhões de mortos.

Anos mais tarde, de novo o Reino Unido agrupa os aliados contra as potências do Eixo Central, comandados pela Alemanha de Hitler. Também sabemos como terminou a Segunda Guerra mundial com 70 milhões de mortos.

Passaram 65 anos, o protagonista alemão mantém-se. O domínio económico da Europa está garantido, falta-lhe o domínio político. A reformulação dos tratados europeus podem constituir o primeiro passo para o controlo total de Berlim sobre os seus súbditos europeus.

Aquilo que nunca conseguiram pelas armas, virão a conquistar pela via financeira.

O grande problema actual é que o bombeiro de serviço europeu, o Reino Unido, já não está para aí virado. Resolveram abandonar o barco.

É pena, porque Londres faz mais falta dentro da Europa do que fora. Por um único motivo: nunca será um aliado da Alemanha.

Ao contrário da França por exemplo, a Inglaterra em momentos cruciais nunca se associará à Alemanha. Seria muito importante que dentro da União Europeia se ouvisse uma voz contestatária de peso.

Embora os interesses da Inglaterra não sejam propriamente os nossos, serviriam sempre para equilibrar a balança política da Europa.

Penso que por este motivo e pelo facto de não haver, nesta altura, qualquer ameaça a leste, a União Europeia nunca será credível. Mais tarde ou mais cedo acabará, esperemos que a bem desta vez...

sábado, 26 de novembro de 2011

O rei da Ericeira

D. Sebastião desapareceu no Norte de África em 1578 durante a batalha de Alcácer Quibir, naquela que foi a maior derrota militar da história de Portugal. 

O cardeal D.Henrique reinou apenas dois anos, de 4 Agosto 1578 a 31 Janeiro 1580.
Seguiu-se um período muito conturbado na sucessão por não haver descendência directa para o trono. 

É nessa altura que, por ser neto de D. Manuel I, se estabelece D.Filipe II de Habsburgo como rei. Filipe I de Portugal foi primeiro da dinastia filipina que dominou o país até à restauração de 1640.


Surge na Ericeira, identificado por alguns locais como D. Sebastião, devido a parecenças físicas notáveis, um jovem ermita da capela de S. Julião, Mateus Álvares que vestiu a pele do monarca desaparecido. 

Apoiado por Pero Afonso - um homem rico de Rio de Mouro - organizou a sua corte, com direito a rainha coroada e títulos nobiliárquicos. Ali resistiu ao governo de Lisboa e chegou a ter às suas ordens um pequeno exército de cerca de 800 homens, oriundos das terras do Oeste entre Torres Vedras e Sintra.

Assustados com as proporções que o caso assumia, as forças leais a Filipe I acabaram por esmagar militarmente o pequeno e "rústico" exército do Rei da Ericeira, punindo severamente os revoltosos e os seus líderes.

Em 1585 D. Mateus Álvares foi detido na Vila de Colares, no sopé da Serra de Sintra. Acabou executado e desmembrado na cidade de Lisboa, tendo defendido até è morte o sebástico acto de que foi principal protagonista. 

Afirmou que jamais havia querido enganar os portugueses, mas tão só libertá-los da dominação estrangeira, assumindo-se depois como impostor.

De uma forma ou de outra a Historia de Portugal repete-se:

D. Sebastião jamais regressou e até hoje somos governados por impostores.

domingo, 20 de novembro de 2011

Tal pai, tal filho!

Nepotismo (do latim nepos, neto ou descendente) é o termo utilizado para designar o favorecimento de parentes (ou amigos próximos) em detrimento de pessoas mais qualificadas, especialmente no que diz respeito à nomeação ou elevação de cargos.

Nada disto é novidade.

Em Portugal esta modalidade praticada com muita normalidade dado que a tradição é mantida à muitas gerações.

O que mais me tem surpreendido nos últimos tempos é que os pais não querem desempenhos menos capazes nos seus filhos. Estão a dar formação aos seus petizes para que estes não os envergonhem.

Vejamos alguns casos:

Duarte Lima......Pedro Lima
José Penedos.....Paulo Penedos
Valentim Loureiro....João Loureiro

Pela pequena amostra se verifica que já existe um trabalho de preparação dos filhos para darem sequência ás exemplares carreiras dos pais.

Agrada-me verificar que a competência dos filhos é factor importante para continuacao das actividades de engrandecimento dos patrimónios, iniciadas pelos seus pais.

Estamos, não perante oportunistas da pior espécie, mas sim na presença de pessoas que revelam grande sentido de oportunidade.

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

O sermão do bom ladrão


"Levaram os reis consigo ao paraíso os ladrões, não só não é companhia indecente, mas acção tão gloriosa e verdadeiramente real, que com ela coroou e provou o mesmo Cristo a verdade do seu reinado, tanto que admitiu na cruz o título de rei.
 
Mas o que vemos praticar em todos os reinos do mundo é, em vez de os reis levaram consigo os ladrões ao paraíso, os ladrões são os que levam consigo os reis ao inferno."

O Sermão do Bom Ladrão, foi escrito em 1655, pelo Padre Antônio Vieira.
 
Proferiu este sermão na Igreja da Misericórdia de Lisboa (Conceição Velha), perante D. João IV e sua corte. Lá também estavam os maiores dignitários do reino, juízes, ministros e conselheiros.

Neste discurso corajoso perante a classe dirigente do seu tempo, o Padre António Vieira denunciou gestões fraudulentas e enriquecimentos ilícitos.

Dado o incomodo que suas posições causavam junto dos poderosos da época, havia sido enviado pela Companhia de Jesus para o distante Estado do Maranhão como missionário.

Cerca de 350 anos depois verificamos que o discurso se mantém actual.

Mas lembremo-nos sempre que ele ficou para a História.
 
Quanto aos seus detractores...quem os lembra?

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

A origem da decadência está no nascimento


John Law foi um economista escocês nascido em 1671.

É conhecido como o fundador do sistema bancário.

Após ter fugido de Inglaterra, onde estivera preso por homicídio, viveu na Holanda e mais tarde mudou-se para França.

Em França a situação financeira era marcada por insuficiência de moeda e excessivas desvalorizações. Logo, Law percebeu que os seus conhecimentos de economia e finanças ali serviriam para crescer.

Propôs a criação de um banco estatal centralizador que detivesse o monopólio de todas as actividades financeiras."Não existe país forte sem banco forte", afirmava Law.

Em 1717, fundou uma companhia no estado americano do Louisiana, então colónia francesa, que detería o monopólio do comércio no rio Mississipi.

No mesmo ano, o banco foi nacionalizado sob o nome de Banque Royale, John Law foi nomeado presidente. Por esta altura começou a especular financeiramente para cobrir rombos causados pela companhia fraudulenta do Louisiana.

Nesta mesma época foi ordenada a impressão de papel-moeda em montante equivalente a três vezes a dívida pública, o que fez disparar a inflação em França.

Devido à crise que resultou da especulação, Law foi demitido no mesmo ano da liderança do banco Royale. Teve de fugir de França e foi para Veneza. 


Morreu de pneumonia em 1729, totalmente desacreditado.

Esta crise ficou conhecida como o Esquema do Mississipi. É-lhe atribuída grande importância no desencadear posterior da Revolução Francesa. A palavra "banque" não foi utilizada em França, durante muitos anos utilizava-se o termo "crédit".

Thomas Jefferson (1743-1826) profetizou de forma notável:

“Se o povo americano alguma vez permitir aos bancos que controlem a emissão do dinheiro, primeiro pela inflação e depois pela deflação, os bancos e corporações que crescerão em torno deles privarão o povo da sua propriedade até que os seus filhos acordem sem lar no continente que os seus pais conquistaram”.

Esta advertência aplicava-se também a todos os outros povos do mundo.

Por aqui verificamos que o liberalismo desenfreado não é de hoje e as consequências já são conhecidas e mantêm-se actuais...

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Alan versus Javi Garcia

A desproposito da polémica troca de mimos entre Alan e Javi Garcia.

O jogador do Braga é queixinhas, inconsequente, impreciso e até mentiroso.

Vejamos:

Queixinhas, porque não tem nada que vir para a praça publica revelar segredos profissionais.

Inconsequente, porque nunca conseguirá provar que foi verdade aquilo que relata.

Impreciso, porque o Javi Garcia por ser espanhol nunca poderia ter-lhe chamado "preto", quanto muito ter-lhe-ia dito "prieto".

Mentiroso, porque a ser verdade o dito, nunca poderia ser com intenção ofensiva dado que a cor da derme do habilidoso extremo é realmente negra.

Para se tornar ofensivo, Javi Garcia teria de lançar-lhe um impropério tipo: "seu branco do c..."

Não consigo entender como alguém se sente ofendido por ser designado pelo tom de pele que possui.

Eu, por exemplo, nunca me irritei por me chamarem branco.

Será que o Alan acha que é moreno?

domingo, 6 de novembro de 2011

Grécia, do berço ao túmulo.

Foi lá que nasceram os valores que hoje assumimos como património do Ocidente: a democracia, a cidadania, a política, o direito, etc.

É lá que se inicia a derrocada da civilização Ocidental tal como a conhecemos.

E isto acontece exactamente porque o poder financeiro se sobrepôs aos valores que os antigos gregos nos legaram.

Por outro lado uma inexorável realidade: este liberalismo libertino morreu.

A Europa renascerá.

O novo ciclo vai iniciar-se e nós renasceremos também.

sábado, 29 de outubro de 2011

No buraco

Será que todo o teu dinheiro
Vai comprar o teu perdão
Vai proteger-te de doenças
Ou vai proteger-te do frio?

Será que todo o teu dinheiro
Vai proteger-te da loucura
Vai proteger-te da tristeza
Quando estiveres no buraco?

Pois, estarás na valeta
Estarás a mendigar cigarros
Estarás a mendigar meias de nylon
Na Zona Americana

Estarás no buraco
É, aqui no buraco
Sem escapares aos problemas
Sem teres para onde ir

Aqui na valeta
A mendigar cigarros
A mendigar perdão
É tudo aquilo que sabes

No buraco
Depois de cavar nas trincheiras
À procura de abrigo e descobrindo que
Não há para onde ir

Nenhum dinheiro teu
Te vai comprar o perdão
Nenhuma das tuas jóias
Nenhum do teu ouro

Os teus cigarros do mercado negro
As tuas boates americanas
Ah, eles já não têm para onde ir

Algo pra nada
Todos os seus amigos se foram
Algo pra nada
É tudo aquilo que sabes

Há alguma coisa no buraco

Letra do tema "Down in hole" composto por Mick Jagger e Keith Richards
Álbum Emotional Rescue 1980

domingo, 23 de outubro de 2011

Viva...Chegou o Outono

Sopra um fluido de vento fresco, preambulo do frio que por aí vem.
Estranho pensar que me agrada esta chuva obliqua, cinzenta de luz.
Nunca antes me recordo de esperar este tempo.
Sinais dos tempos, ficar feliz pela chegada do Outuno.
No fundo acho que aspiro a normalidade nesta época inconstante.
Em breve teremos o crepitar da lenha na lareira.
Será o regresso à ordem natural das coisas.
O conforto formal na sequência da Natureza.
Como validação do ciclo da vida.
E esqueci hoje as leituras astrológicas Maias.
Que os eixos magnéticos da Terra permaneçam são os meus votos.
Que depois venha o Inverno, forte e frio.
A Primavera florida e perfumada.
Depois o Verão, solarengo e límpido.
Recordações da infância para reviverem os meus filhos.
Viva...Chegou o Outono...

sexta-feira, 14 de outubro de 2011

Ver-se grego

Sobre a expressão «ver-se grego», corresponde a ter muita dificuldade em resolver qualquer problema ou situação, escreveu Vasco Botelho de Amaral, em Mistérios e Maravilhas da Língua Portuguesa (Livraria Simões Lopes, Porto, 1950).

Como é premonitória a sabedoria popular. Esta expressão utiliza-se há séculos.

Nunca o seu sentido foi tão literal e tão real.

A partir de agora é que os portugueses "se vão ver gregos".

Até aqui tudo o que se passava na Grécia era longínquo, quase irreal.

Tudo mudou. Neste momento fazemos parte da tragédia e temos o papel principal.

Quando em conversas de café reflectíamos sobre o estado do nosso Estado dávamos um sentido cómico ás historias que conhecíamos.

Percebemos agora que a comédia se tornou trágica.

...E dou por mim a pensar:

Será que os Gregos agora se vêem Portugueses ?

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

A Juiza tornou-se vitima





Este episódio foi-me contado por um agente policial. Aconteceu um dia no Tribunal de Sintra.

Um jovem deliquente foi presente a uma Juíza por 2 agentes.

O rapaz era suspeito de realizar furtos em viaturas. Era Já bem conhecido das autoridades, por ser reincidente.

Após ser ouvido pela Juíza, esta determinou como medida cautelar, o "termo de identidade e residência".

O rapaz retirou-se, exibindo um sorriso de escárnio aos agentes policiais e saiu do tribunal.

Durante a tarde os agentes que haviam acompanhado o assaltante ao tribunal, receberam uma ocorrência via rádio-patrulha:

"Foi furtado do parque de estacionamento do Tribunal de Sintra um veiculo pertença da sr. Dra. juíza...."

Claro que foi o ultimo carro a ser recuperado pelos agentes naquele dia.

A juíza acabou por ser vítima da própria decisão.

E em casos mais graves? Dá o que pensar, não é?

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Livro: Paraísos artificiais - Charles Baudelaire


A razão deste meu texto tem a ver com o que eu descobri por acaso a partir deste livro.

Nos meados do séc. XIX Charles Baudelaire escreveu " Paraísos artificiais".

Não se trata de poesia, como seria de esperar de um poeta. Neste ensaio Baudelaire aborda os efeitos da utilização do ópio, da cannabis e do álcool.

De inicio é evidente a apologia da utilização medicinal, social e espiritual destas substâncias. Na parte final surge o desencanto e conclui que a subjugação da criatividade à dependência torna a mente vazia de conteúdo.

Inspirado em Thomas Quincy, que foi uma das referencias de Baudelaire, o compositor português do inicio do séc XX, Luis de Freitas Branco compôs em 1910 o poema sinfónico "Paraísos artificiais".


Possivelmente o autor estaria a navegar nas ondas do primeiro estagio da ligação a uma das substâncias. Achei absolutamente fantástico.

Esta sinfonia devia ser devidamente divulgada. Para mim foi surpreendente. Tal como para a grande maioria dos portugueses a sua música era-me desconhecida.

Aproveito para fazer uma outra recomendação, oiçam o aluno mais brilhante de Luis de Freitas Branco. É considerado um dos maiores compositores do mundo no séc XX, dá pelo nome de Joly Braga Santos.

sexta-feira, 30 de setembro de 2011

O branqueamento da escuridao

O nacional porreirismo continua em grande.

Reparem em 2 casos recentes. Madeira e Oeiras.

O buraco da Madeira quando devidamente inspeccionado vai levar a umas contas "off shore".

As contas "off shore" do Isaltino quando devidamente verificadas, vão levar ao buraco de Oeiras.

O "povão" diz em ambos os casos: "o homem tem obra feita".

Se eu pedir um empréstimo avultado avalizado por alguém credível...construo uma bela casa à beira mar plantada, uma bela piscina oceânica, um Ferrari "Testa Rossa" na garagem, etc, etc.

Depois não pago nada a ninguém. Mando os credores irem ter com o avalista...

O que sou, meus amigos?

O problema é que isto não ficará por aqui.

Vamos ver quantos mais irão aparecer com "obra feita" por esse país fora... Municípios em "default", empresas que vão à falência por dividas do Estado, etc. Não há perda de mandatos, não imputação de responsabilidade criminal...temos os políticos que merecemos.

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

O sonho

Um episódio contado pela minha mulher, quando o meu filho mais novo tinha 7 anos.

Apresentação na escola do meu filho para o novo ano lectivo.

As crianças tinham de construir um mural.

Para isso tinham de pintar umas mãos em conjunto com as mães. Por baixo das mãos teriam de escrever algo a partir do mote: "mãos pequenas, sonhos grandes".

Cada criança tinha de escrever o seu sonho sob as mãos.

Havia crianças que sonhavam serem jogadores de futebol, cientistas, médicos, professores, enfermeiras, outros queriam ter muito sucesso, serem grandes, ter muitos brinquedos e jogos para a PlayStation, etc.


O meu filho Nuno escreveu:

"Gostava de não ser diabético"

Paradoxos

A língua portuguesa é absolutamente fascinante, reparem:

Podemos afirmar

"sendo assim..." ou "assim sendo..."

Mas não podemos declarar da mesma forma

"posto isto..." ou "isto posto..."

A expressão "tudo junto" escreve-se em separado

Mas a expressão "separado" escreve-se tudo junto

Palavras homófonas quando misturadas com o latim, dão nisto:

Agnus Dei...O cordeiro de Deus

Annus Dei.....O ano do Senhor

Anus dei.....no sentido literal da expressão

Como podem reparar temos uma língua muito perigosa.

quarta-feira, 14 de setembro de 2011

Lógico

Em conversa com o meu filho Nuno ( 8 anos )

- Pai, quem anda de bicicleta chama-se biciclista ?

- Não filho, chama-se ciclista!

- Então...porquê ?

Quem me pode ajudar a explicar-lhe isto?

terça-feira, 13 de setembro de 2011

Madeira, o membro 193 da ONU

Penso ter chegado a hora correcta para a independência da ilha da Madeira.

Vistas as coisas já possui Governo, Parlamento, Constituição, políticos e estadistas de alto gabarito. A nível político e administrativo esta resolvido.

Possui receitas próprias e ate uma divida própria. A nível económico esta resolvido.

Temos um diferendo desportivo por tratar: Cristiano Ronaldo.

Bem...ele que opte. Se decidir ser madeirense não tem problema, se virmos os jogos que tem feito pela selecção...

Caro Alberto João, já pode emitir divida soberana própria.
Podem inscrever-se como membros da Organização dos Países Africanos.
Portugal sera o primeiro pais a reconhecer o novo estado.

P.S. Depois muita atenção aos exportadores nacionais, nada de vender fiado...Aquilo é gente expansiva nas encomendas e muito poupada nos pagamentos...

Primeiro post

Caro leitor,

Com este blog espero sinceramente ter a tranquilidade necessária para expurgar o que de desnecessário paira no meu emaranhado cérebro.

Nesta atitude de limpeza conto conseguir fazer um reset básico para poder manter as funções mínimas da mente.

Sempre que a paciência do leitor entender estar esgotada a condição mais ínfima para aguentar o olhar, por favor, suspenda a leitura e não volte porque a coisa só vai piorar.

Sejamos justos. Tudo aquilo que por aqui for vertido nunca poderá constituir mensagem passível de qualquer analise.

Caro leitor, não deixe que a sua paciência abuse de si...há limites para tudo!

Rui Mota