Tratamento de temas interessantes de uma forma desinteressante. Abordagem inconsequente acerca da consequência das coisas. Tudo será devidamente tratado, mas sem qualquer resolução. Os leigos também têm direito a opinião...

terça-feira, 24 de abril de 2012

Matar pela imortalidade



Erzsébet Báthory (7 de agosto de 1560 — 21 de agosto de 1614) foi uma condessa húngara da renomada família Báthory que entrou para a História por uma suposta série de crimes hediondos e cruéis que teria cometido, vinculados com sua obsessão pela beleza. Como consequência, Erzsébet ficou conhecida como "A condessa sangrenta". 

Os arquivos que documentam os seus crimes foram encerrados pelo estado húngaro durante cem anos, numa tentativa de apagar os vestigios para a posteridade, a ideia era que o sucedido caísse no esquecimento. A condessa viveu no Séc. XVII numa região que hoje faz parte da Eslováquia. Consta que terão morrido cerca 600 pessoas para satisfazer a sua ânsia de beleza e juventude. Ela acreditava que banhando-se no sangue das suas vitimas, se manteria para sempre jovem. Depois de condenada pela justiça do seu tempo, viveu os últimos 3 anos de vida num quarto sem janelas, mantendo-se apenas um postigo pelo qual era alimentada.

A busca da vida eterna sempre foi uma quimera para o ser humano. Se for uma obsessão pode tornar-se muito perigosa.

Ironicamente no caso desta senhora a busca da imortalidade resultou. Volvidos quase quatrocentos anos após a sua morte, aqui estamos a recordá-lá.

A maioria dos serial killers no fundo das suas mentes hediondas conseguiram um lugar na história. As pessoas comuns normalmente não conseguem tamanha notoriedade.

Veja-se o exemplo de Diogo Alves. Ficou na história, por ter sido o ultimo homem condenado à morte em Portugal. Ficou conhecido como o Assassino do Aqueduto das Águas Livres por ter executado cerca de 70 vitimas, a maioria delas atiradas do cimo do Aqueduto. Foi enforcado em 1841, tinha 31 anos.

Luísa de Jesus foi a última mulher executada em Portugal em 1772, em Coimbra. Foi executada aos 22 anos de idade por ter assassinado 33 bebés abandonados. Assumia a adopção de bebés (quase sempre com nome falso) apenas com o intuito de se apoderar do enxoval e embolsar os 600 réis que eram dados cada vez que ia buscar uma criança ao orfanato. A ré só confessou a autoria de 28 homicídios. Foi queimada em execução pública.

Theodore Gein, mais conhecido como Ed Gein (La Crosse, Wisconsin, 27 de Agosto de 1906 — Waupun, Wisconsin, 26 de Julho de 1984) foi suspeito de 7 homicídios (confessou 2 mortes). Os seus crimes ganharam notoriedade quando as autoridades descobriram que Gein exumava cadáveres de cemitérios locais e fazia troféus e lembranças com eles. Quem não se recorda do psicopata maníaco Jame "Bufallo Bill" Gumb do filme "O silencio dos inocentes"? A personagem é baseada na figura perfidamente perturbada de Ed Gein.

Pedro Alonso López (Santa Isabel, Tolima, 8 de outubro de 1948) é um assassino em série colombiano. É acusado de ter matado mais de 300 pessoas em três países. Lopez ficou conhecido como o "Monstro dos Andes" em 1980, quando mostrou à polícia os túmulos de 53 das suas vítimas, no Equador. Eram todas as meninas entre nove e doze anos de idade. Depois, em 1983, foi declarado culpado de assassinar 110 jovens no Equador e confessou ter efectuado mais de 240 assassinatos de raparigas dadas por desaparecidas nos vizinhos Peru e Colômbia. Foi libertado por ter cumprido a pena máxima, não se sabe do seu paradeiro.

"Na delegacia de Garanhuns, Jorge Negromonte e Isabel da Silveira, acusados de envolvimento na morte de pelo menos três pessoas, aparecem bastante descontrolados. O departamento de homicídio de Pernambuco também entrou no caso. Os três criminosos que passaram a ser conhecidos como os canibais de Garanhuns podem ser responsáveis por pelo menos mais cinco assassinatos." Transcrição de uma notícia num jornal brasileiro. 

Este casal com cumplicidade de uma jovem executava e cozinhava mulheres, fazendo empadas que vendiam pelas ruas da cidade inclusive na própria esquadra de policia brasileira.

Theodore John Kaczynski (Chicago, 22 de Maio de 1942), mais conhecido como Unabomber, é um matemático norte-americano, escritor e ativista político, condenado a prisão perpétua na sequência de uma série de atentados à bomba que vitimizaram 26 pessoas das quais 3 morreram.

Estes são apenas alguns exemplos de notoriedade pervertida da nossa humanidade.

Quantos milhares de milhões de seres normais povoaram o mundo e nada nos recorda a sua passagem? 

Quantos de nós após a morte permanecerão recordados pela história dos homens?

Paradoxalmente estes seres aberrantes conquistaram a imortalidade pela via amoral e psicótica. Um profundo desprezo pelos outros, tornou-os exemplares. Foi a subversão de valores que lhes deu notoriedade e não se pense que é de hoje, sempre houve, agora há é mais informação e sabemos de quase tudo.
Enviar um comentário