Tratamento de temas interessantes de uma forma desinteressante. Abordagem inconsequente acerca da consequência das coisas. Tudo será devidamente tratado, mas sem qualquer resolução. Os leigos também têm direito a opinião...

quinta-feira, 9 de outubro de 2014

Pessoas felizes sem sexo



Algumas pessoas afirmam não sentir qualquer desejo sexual por qualquer individuo, quer sejam do sexo oposto ou não. Em 2004 o Prof. Anthony Boagaert da Universidade Canadiana de Brock, estimou que os assexuados representam cerca de 1% da população mundial.

Entende-se por “assexuado”: desprovido de desejo sexual, ausência de desejo sexual. A partir disso, podemos entender que uma pessoa assexuada é aquela que não apresenta vontade alguma de realizar qualquer acto sexual, seja em relação ou não ao sexo oposto. Porém, é necessário diferenciar a assexualidade do celibato.

O celibato é uma abstinência deliberada da atividade sexual. Ou seja, o indivíduo em questão opta pela privação da intimidade sexual, mesmo que ainda possua o desejo. Os assexuados, não tomam tal decisão, simplesmente não possuem desejo sexual, e muito menos se importam com isso.É importante realçar que a assexualidade não tem nada a ver com castidade, com disfunção sexual ou moralidade.

Atualmente os especialistas tentam compreender este fenómeno. Muitos defendem que não se trata de uma patologia, mas de uma orientação sexual legítima. Se não causa angústia, não deve ser entendido como um distúrbio emocional ou médico. Outros afirmam tratar-se de um distúrbio de hipo-atividade sexual, ou mesmo de aversão sexual.

Alguns indivíduos assexuados também não têm qualquer atração romântica. Uma ampla rede de amigos garante-lhes o suporte emocional necessário para não sentir falta de outra pessoa.

A maioria dos assexuados afirma que a realização amorosa advém do carinho, da compaixão, da proximidade, da empatia e da aceitação, sem qualquer necessidade gratificação sexual.

Num mundo que valoriza cada vez mais a expressão sexual, pode ser difícil imaginar que existam pessoas que se identifiquem como assexuadas, no entanto, isso acontece. A assexualidade é considerada uma orientação sexual tal como heterossexuailidade, homossexualidade e a bissexualidade.

A britânica Jenni Goodchild, de 21 anos, considera-se assexuada por não ter nenhum interesse em sexo, ainda que tenha um namorado. Esta estudante universitária de Oxford afirmou numa entrevista: "Para mim, basicamente, quer dizer que eu não olho para as pessoas e penso 'hmmm, eu gostaria de ter relações sexuais com esta pessoa'. Isso simplesmente não acontece".

Este é o caso de Jenni, que é hetero-romântica e, apesar de não ter nenhum interesse em sexo, ainda sente atração por pessoas do sexo oposto e tem em um relacionamento com Tim, de 22 anos.

Tim, no entanto, não é assexuado (coitado do rapaz). "Muitas pessoas chegam a perguntar se eu não estou a ser egoísta ao mantê-lo nesta relação que não vai satisfazê-lo e dizem que ele devia namorar com alguém como ele, mas ele parece bem feliz, costumo dizer que é ele quem deve decidir isso", diz Jenni.

Segundo Tim, ele está a gostar de passar tempo com Jenni e de conhecê-la melhor. "A primeira vez que Jenni mencionou durante uma conversa que era assexuada, meu primeiro pensamento foi: 'hmmm, isso é um pouco estranho', mas eu sabia que não devia fazer suposições sobre o que isso significava", explica Tim. "Eu nunca fui obcecado por sexo. Eu nunca fui do tipo que tem que sair à noite e encontrar alguém para ter sexo, não estou preocupado com isso."

Este tipo de relacionamentos está em voga e a começar a tornar-se mais comum do que seria de esperar. Podia dissertar uma serie de teorias acerca do que penso sobre isto, mas deixo ao vosso critério.
Enviar um comentário