Tratamento de temas interessantes de uma forma desinteressante. Abordagem inconsequente acerca da consequência das coisas. Tudo será devidamente tratado, mas sem qualquer resolução. Os leigos também têm direito a opinião...

terça-feira, 18 de novembro de 2014

Lidice e Lezáky


Hoje ia escrever algo acerca dos animais e os circos, mas notei que já há muita gente iluminada e preocupada que debitou os seus pareceres sobre o tema. Como nada venho a acrescentar a esse assunto, resolvi debruçar-me sobre um relato verdadeiramente animalesco da história da humanidade.

A 27 de Maio de 1942, Reinhard Heydrich, responsável nazi pelos territórios da Boémia e Morávia, sofre um atentado à bomba. O seu automóvel cai numa emboscada da resistência checa nos arredores de Praga. Heydrich fica gravemente ferido e vem a falecer a 4 de Junho.
O ataque havia sido perpetrado por 2 resistentes, Kubis e Gabcik. Haviam sido treinados em Inglaterra e que tinham sido largados de paraquedas nas imediações da cidade.

Segundo os nazis, os resistentes teriam usado Lidice como esconderijo antes e após o atentado. Mas na verdade os dois haviam estado escondidos numa igreja em Praga. Ter-se-ão suicidado para evitar a captura pelas tropas nazis.

Heydrich era um dos homens mais próximos de Hitler, tinha colaborado nos planos para a “solução final” com vista à eliminação dos judeus em território do Terceiro Reich. Hitler não conformado com o ocorrido, ordenou represálias.

Lidice, nos arredores de Praga, sempre foi um foco de resistência à ocupação nazi e viria a ser o objeto de retaliação.

Em 10 de junho, as tropas nazis cercaram Lidice, impedindo a saída dos habitantes. Todos os homens maiores de 15 anos foram colocados num celeiro e fuzilados. As mulheres e crianças foram mandadas para o campo de concentração feminino de Ravensbruck onde a esmagadora maioria viria a morrer. Estima-se que ao todo 199 homens, 195 mulheres e aproximadamente 88 crianças foram vitimados pelo ataque nazi.

Em Lezáky, uma povoação próxima, havia sido descoberto um emissor de rádio da resistencia. O pesadelo foi igual. A população foi dizimada, excepto 2 crianças que foram levadas e entregues a familias alemãs.

Por indicação expressa de Hitler é arrasada a vila. Foram detonadas as casas. O terreno foi aplanado com tratores e foi semeado para se transformar em pasto. Lidice foi apagada dos mapas.

Os alemães noticiaram ao mundo o que aconteceu em Lidice, como propaganda para aterrorizar os resistentes e inimigos. Por seu lado nos países aliados passaram a utilizar o evento para alimentar o ódio contra os nazis.

Hoje, onde outrora havia sido a vila de Lidice, existe um memorial em homenagem aos habitantes mortos no massacre. A área é considerada terreno sagrado e  monumento perpétuo da República Checa. A vila foi reconstruída e ampliada a partir de 1949, e está situada a cerca de 700 metros do campo reservado à memória dos mortos.
Enviar um comentário