Tratamento de temas interessantes de uma forma desinteressante. Abordagem inconsequente acerca da consequência das coisas. Tudo será devidamente tratado, mas sem qualquer resolução. Os leigos também têm direito a opinião...

sábado, 29 de novembro de 2014

O homem que podia ter mudado a história


Como 13 minutos podem fazer a diferença entre a morte e a vida de 60 milhões de pessoas?
O muro de Berlim foi construído nos anos sessenta em consequência desses 13 minutos.

No dia 8 de Novembro de 1939, o aeroporto de Munique foi encerrado devido à forte neblina. Nessa noite Adolf Hitler iria discursar na cervejaria Burguerbraukeller, como fazia todos os anos nas comemorações da tentativa falhada de golpe de estado dos nazis em 1923, que iria conduzir Hitler à prisão onde escreveu “Mein Kampf”.

Como teria de viajar de comboio Hitler adiantou o seu discurso em 30 minutos. Começou pelas 20h e acabou às 21h. Deixou a cervejaria com pressa, às 21,07h. Pelas 21,20h uma forte explosão rebenta com o teto por cima do palco. Morreram 8 pessoas e ficaram feridas 63. Adolf Hitler havia escapado à morte por 13 minutos.

O atentado tinha sido planeado por Johann Georg Elser. Hoje é reconhecidamente um herói para a Alemanha, tem o seu nome gravado num quarteirão residencial de Munique e numa sala de espetáculos. Mas nem sempre foi assim. Para os alemães, durante muitos anos, Elser havia sido um carpinteiro irrelevante. Para os de Leste era alguém que agiu individualmente e não tinha ligações a atividades comunistas. Para os alemães do Ocidente corriam boatos absurdos de que havia sido um agente da Gestapo; por outro lado, Elser estava fora dos cânones do herói representado por Claus Von Stauffenberg da Operação Valquiria, que envolveu mais de 100 pessoas na tentativa de matar o ditador em 1944.

Elser nasceu em Hermaringer, no Sudoeste da Alemanha, em 1903. Não era político, mas em tempos votou no partido comunista e pertenceu ao sindicato dos marceneiros. Naquela época era muito difícil não acreditar nas ideias de Hitler, basta dizer que quando chegou ao poder em 1933, havia cerca de 6 milhões de alemães desempregados, 3 anos depois a situação era praticamente de pleno emprego, os planos bélicos de Hitler tinham trazido um crescimento industrial espantoso. No entanto este simples carpinteiro confessou a um amigo que “a Alemanha nunca poderia ter um governo melhor, a não ser que alguém derrubasse o seu líder. Mas não contes a ninguém”. Segundo contou mais tarde, durante o seu cativeiro, não confiava em Hitler, tinha o pressentimento que aquele homem havia de destruir o mundo.

Entre 1925 e 1929 Elser trabalhou numa fábrica de relógios, foi aí que adquiriu conhecimentos que mais tarde utilizou para fazer a bomba relógio que colocou debaixo do palanque na cervejaria.


Ainda não havia sido detonada a bomba e já Elser estava detido junto à fronteira com a Suiça. O alemão tentava cruzar a fronteira em Constança, os guardas fronteiriços quando esvaziaram a mochila que transportava consigo descobriram os esboços de construção de uma bomba e vários utensílios suspeitos. Ainda sem saberem concretamente do que se tratava prenderam-no e encaminharam-no de volta para Munique. Apesar de inicialmente negar qualquer envolvimento no incidente, não teve alternativa senão confessar a autoria do atentado.

Foi torturado na sede da Gestapo em Berlim. Himmler recusava-se a acreditar que aquele acto contra o Führer fosse engendrado por um simples carpinteiro, sem apoio de mais ninguém. Os nazis tentaram engendrar uma conspiração que envolvia os ingleses. Elser não foi logo executado porque os nazis mantinham a esperança que ele um dia revelasse os seus cúmplices.

Foi transferido para o campo de concentração de Dachau, onde foi um prisioneiro com estatuto especial até ser executado com um tiro, em Abril de 1945, dias antes do suicídio de Hitler.

Neste breve relato constatamos como minúsculos pormenores podem fazer a diferença na vida de milhões de seres humanos. Os “se” da vida de alguém representam o aleatório que a todos envolve e nos deixa impotentes perante os acontecimentos.

Georg Elser podia ter mudado a história, mas por 13 minutos não conseguiu evitar a Segunda Guerra Mundial.
Enviar um comentário