Tratamento de temas interessantes de uma forma desinteressante. Abordagem inconsequente acerca da consequência das coisas. Tudo será devidamente tratado, mas sem qualquer resolução. Os leigos também têm direito a opinião...

domingo, 25 de dezembro de 2016

Triologia O Bom, o Mau e o Vilão: O Mau...

Lá estava ele a uma segunda feira debruçado sobre a agenda, o que fazer?

O pior de tudo, o mais chato e moroso era o mais urgente, a vontade de procrastinar o assunto era mais forte.

E porque não? Não há nenhuma urgência que não possa ser tratada amanhã.

Parou de pensar nisso e dirigiu-se à secção do lado, tinha de tomar um café para raciocinar mais claramente.

- Ninguém quer vir tomar um café? Preciso de abrir os olhos...

Um dos colegas aceitou o convite. Os outros continuaram envoltos nos seus afazeres.

- Reparaste naquela cambada de monos? Ninguém fala, só quando o chefe aparece é que se houve alguém dizer algo. Esta empresa é do pior, o que querem é um rebanho de carneirinhos que estão sempre disponíveis para o que eles quiserem...

- Não é bem assim. Se passasses por aqui mais tempo ias perceber que é pessoal dedicado ao trabalho e muito competente. Para tu poderes concretizar negócio alguém tem de garantir a retaguarda. Não deves ser tão simplista nos teus juízos.

Ele encolheu os ombros. As pessoas precisavam de descontrair e relaxar. Não deviam levar as coisas tão a sério. Eram tão snobs, tão focados, tão previsíveis... gente desinteressante.

É tão difícil como desnecessário cumprir horários. Porque motivo teria de estar a horas no local de trabalho, que mais valia poderia ele representar se ainda estava literalmente a dormir?

Por vezes passavam-se dias em que ninguém sabia dele. Quando aparecia tinha sempre uma boa desculpa para justificar a ausência, mas principalmente trazia a concretização de bons negócios.

Muitas vezes o seu director tinha de corrigir seu comportamento. Era preguiçoso e já havia sido encontrado a beber  durante o expediente. Como  era um vendedor brilhante que achava que seu talento o dispensava de seguir as regras da empresa.

Nas conversas com os clientes quando colocado perante uma reclamação, muitas vezes referia-se à empresa num tom jocoso e displicente.

Nas conversas com os colegas ia revelando confidencias de uns e outros. Principalmente na sua ausência, as suas intrigas faziam eclodir litígios entre eles.

Enfim, era um personagem que minava a moral na empresa, mas preponderante no cumprimento de resultados.

Um dilema sempre presente nas reuniões de direção.

Enviar um comentário