Tratamento de temas interessantes de uma forma desinteressante. Abordagem inconsequente acerca da consequência das coisas. Tudo será devidamente tratado, mas sem qualquer resolução. Os leigos também têm direito a opinião...

terça-feira, 13 de junho de 2017

O dilúvio de cerveja



E se de repente as sarjetas deitassem por fora por já não aguentarem a pressão, as caves das casas se inundassem e as ruas se transformassem em rios numa torrente incontrolável de cerveja?

Foi isso que aconteceu em Londres em 1814.

Fundada em 1764 a Horse Shoe Brewery era a maior fábrica de cerveja de Londres. Situava-se na esquina da Tottenham Court Road com a Oxford Street.

Em 1807 Sir Henry Meux comprou a Horse Shoe Brewery, a cervejeira passou a chamar-se Henry Meux and Company.

Em Outubro de 1814 uma ruptura num tonel enorme da fábrica de cerveja, provocou uma enxurrada que levou outras cubas a colapsarem também. Em minutos 1.470.000 litros de cerveja inundaram as ruas do bairro de Camden, por efeito do arrastamento, foram derrubados muros e algumas casas ruíram provocando um total de 18 mortos. Não consta que tivessem ocorrido vitimas por excesso de álcool.

A empresa foi levada a tribunal, mas o júri considerou que o incidente foi um acto de Deus e como tal nada poderia ter sido feito para o evitar. Foram ilibados.

O empresário, que gozava de bons contactos junto do poder politico, consegui que o Parlamento autorizasse a restituição do imposto relativo à cerveja produzida e que antecipadamente havia sido pago, o que lhe permitiu reconstruir a fábrica e manter a laboração.

Em 1841 morre Henry Meux. O seu filho Henry Meux the Second gere o negócio até ser declarado demente em 1858. O negócio passa a ser gerido por 3 sócios, entre os quais o seu cunhado William Arabin.

A cervejeira foi demolida em 1922, o local onde se situava na Tottenham Court Road é hoje ocupado pelo Dominion Theatre.


Após várias aquisições e outras tantas fusões a Meux Brewery vai para às mãos da Carlsberg-Tetley em 1997.

Nestas linhas se contaram as incidências de um acontecimento que há duzentos anos atrás que teve tanto de caricato como de trágico.